08 setembro 2009

This Mortal Coil

Projecto de Ivo Watts-Russell e John Fryer que seleccionava minuciosamente temas intemporais. Dava-lhes novas interpretações e texturas recorrendo a músicos de projectos já antes escolhidos por Ivo para integrar o catálogo de luxo da sua editora, 4AD.

O resultado são autênticas peças de arte que marcaram a faceta mais requintada da música da década de 80.

This Mortal Coil foi a reunião de Cocteau Twins, Dead Can Dance, Colourbox, Wolfgang Press, Modern English, Dif Juz e muitos outros no mesmo espaço.

Esta música sublinha sempre o que de mais forte sentimos no momento.

No meu íntimo, será sempre o véu fino e transparente que cobre a grande paixão; a inocência inspirada que apetece consumir; a banda sonora que acompanha a caminhada numa estrada sem fim em busca de um segundo de vislumbre acidental; a fresta na porta que revela apenas a metade bela da idade adulta que está a nascer.

Há dias, alguém comentava aqui no blog que – perdoe-me a transcrição – “(...)tal como uma pintura, um poema tem as interpretações que cada receptor lhe dá, e todas são válidas, independentemente das intenções e verdades do autor.” E eu respondo: Nem mais! Considerando que se aceite que a liberdade de interpretação não se resuma à pintura e à poesia.

Para mim, estes discos serão sempre o amor transformado em música oferecida pelos melhores de uma estética muito própria que percorreu a década de 80 e início de 90.

Um agradecimento especial a todos aqueles que ajudaram a pincelar a minha adolescência com estas cores.


1 comentário:

Joao disse...

Bastou uma referência aos This Mortal Coil num post anterior (que nem era meu) para me puxar para este.

Isto dos blogs é como aqueles lenços que os mágicos mostram soltos e, depois de enfiados na manga, reaparecem trazendo uma infinidade de outros lenços unidos através de um nó.