28 setembro 2009

Edward Sharpe & the Magnetic Zeros - Edward Sharpe & the Magnetic Zeros - 2009

Pergunta pertinente: quem é Edward Sharpe?

A escassa informação a que consegui aceder diz-me tratar-se de um dos membros da banda Ima Robot. Originários de Los Angels, têm no seu currículo dois trabalhos editados: 2003 e 2006.

O início do álbum faz pensar que estamos perante um dos muitos projectos fiéis a referências consideradas apelativas nos dias de hoje: “40 Day Dream” lembra uns Arcade Fire da fase Neon Bible articulados com TV on the Radio.

Puro engano, como se constata a partir das faixas seguintes: Edward Sharpe alimenta-se de todos os sabores possíveis privilegiando as origens. Através desta fórmula procura transformar, juntamente com a sua, aparentemente, numerosa banda The Magnetic Zeros, a sua música numa enorme festa.

O resultado poderá ser praticamente comparado a um Mano Chao norte-americano ou um Devendra Banhart galhofeiro. Seria no entanto desmerecido reduzir-lhe a originalidade. A qualidade de composição, a criatividade dos arranjos e o controlo da intensidade dos temas, impõem um espaço próprio ao seu génio.

Se a pouca informação disponível sugere um personagem discreto, a sua música não se contém na extravagância: seja pela utilização frequente de vocalizações - a lembrar admiravelmente os Mother Mother (quem ainda se recorda?) -, ou pelo permanente ambiente festivo.

“Up from Below”, “Carries On”, “Home”, “Come in Please” e "Kisses Over Babylon" são todas músicas excelentes e suficientes para resultar num bom álbum. No entanto, a soberba “Desert Song” ou “Om Nashi Me”, que fecha a surpresa, tornam-no num trabalho que, com todo o mérito, adensa o grupo dos grandes registos deste ano.


1 comentário:

Nuno disse...

Um discasssso.
Bem capturado: melhor mostrado, João.
Na escuta do álbum este tema provocou vários regressos a ele próprio: a imaginação lançou o desafio de como poderia ser tocado ao vivo e, não é que "yes, o módafóca can!"
Delirante.
http://www.youtube.com/watch?v=60FnQgqMPXQ