01 setembro 2009

Lightning Dust - Infinite Light - Take It Home


Esqueçam o formato: escutem: apenas.
A propósito: alguém sabe como se pode permitir escutar uma ou muitas canções num blogue? - streaming, podcasts, playlists, "cálquercoisa"
Antecipadamente agradecido.
E já agora, os Lightning Dust alistam-se na expedição dos grandes álbuns de 2009 com Infinite Light, "Take it Home" é a faixa de encerramento.
Limitam-se brilhantemente a confirmar o excelente registo de estreia em 2007.
E é muito.
Lembram-se?

3 comentários:

Joao disse...

Se me lembro? Não conhecia ainda. Ainda falta conhecer o primeiro.

Este Infinite Light achei-o fabuloso.

Também estes são de Vancouver, Canadá. E também estão associados aos Black Mountain e Pink Mountaintops.

Para que conste, há uma grupo de amigos canadianos que se auto denominam Black Mountain Army e que já há demasiado tempo andam a merecer maior destaque. O trabalho deles tem sido verdadeiramente extraordinário: seja pelas bandas atrás referidas, sejam por estes apaixonantes Lightning Dust.

Não deixem que estes canadianos vos passem ao lado.

Telheiro, se vires isto relembra-me, p.f., a tipa que andas a ouvir ultimamente. Não me lembro do nome. Obrigado.

telheiro disse...

Boas!
Já tenho aqui anotado os Lightning Dust.Não conheço!
Ora bem, a moçoila dá pelo nome de Florence and the Machine e o álbum "Lungs". *****
Já ouviste The Duckworth Lewis Method? É um projecto do eclético Neil Hannon e do menos conhecido Thomas Walsh dos Pugwash. Ainda não ouvi mas está em "lista de espera" :)
Outras coisas que estive para te falar: o EP dos Modest Mouse No one's first and you're next(com 8 músicas?!?!?!?!)e que é composto por temas que não foram incluídos nos dois últimos álbuns; ouve também os novos meninos bonitos da música britânica Bombay Bicycle Club e o álbum I Had The Blues But I Shook Them Loose. Não te esqueças dos Temper Trap...
Abraço

Joao disse...

Tudo apontado. Obrigado pelas dicas.

Modest Mouse já ouvi. Temper Trap também, mas ainda em fase de reconhecimento de terreno. Parece haver lá qualquer coisa de Arcade Fire. Não o som, talvez o contentamento transmitido. Não sei, ainda para ouvir melhor.

Abraço