26 setembro 2010

Swans . My Father Will Guide Me Up a Rope to the Sky . 2010

por aqui já esteve Jim, agora My Birth



swans . uma obra sem interrupção "ou o poema contínuo"

não se esqueçam que é um álbum do outro mundo

por isso - again - Jim



"foi-me dada um dia apenas, nos centros da idade,
a linha medida quando
o mármore se encurva, uma linha
de seda tirada ao remoinho
do casulo. Foi-me dada na origem
mesma, no caos
das linhas. E nunca mais, só os dedos que tanta
aspereza tocaram, de tanta matéria
esfriaram ou aqueceram:
víscera, madeiras profundas se alguém batesse com os nós dos dedos e
ressoasse, massas
na escuridão, massas
de prata arrancadas às matrizes,
quando a minha idade estava certa - nunca
mais saberei a distância de uma palavra à outra.
Linha do tórax, macia como
o fio do meio do coração
do casulo, seda
em bruto,
no princípio.
Assoprado louvor, de tudo.
Apertar na mão sal grosso.
Sentir a queimadura das tripas no alguidar até aos cotovelos.
Desde as unhas até Às faúlhas entre os cabelos. Se a prancha
vergasse e a curva, medida vagarosamente,
de seda, o arco de baixo mármore luminoso,
fosse o que unia um pólo
a outro pólo, pontos
de força terrestre
terrível. O espaço entre dois nomes:
eu e o mundo, mundo e poema, poema e nascimento.
Ou a morte, substantivo que raia.
A linha verbal luzindo sob os dedos,
poderosamente no molde do mármore cosendo os órgãos
da frase de carne.
Foi-me dado uma vez, o dom, e já não sei.
Sítio ecoado noutro sítio do papel, não sei.
Rouco se o bafo de Deus lhe batia,
assim escrito: o choro.
Morte, aqui, num poema, atrás, adiante,
morte com música,"

herberto helder

2 comentários:

p disse...

este é um dos álbuns do ano, emocionalmente para mim é "o". a sonoridade, tão diferente do resto que ele faz, dá literalmente cabo de mim, então aquela faixa de bonus de 46 minutos é assim uma coisa fora do normal.
e fica tão bem com as palavras do hh :)

Nuno disse...

a ver se é desta que vejo o man em concerto