23 março 2011

até as sociedades mais primitivas admitem os seus loucos 20110323














PARA GUARDAR EM MP3



01 Maggie Bjorklund - Frost
02 Richard Hawley - Some Candy Talking
03 Asobi Seksu - Ocean
04 The Band Of Holy Joy - Rosemary Smith
05 Art Brut - Lost Weekend
06 Cabaret Voltaire - Sensoria
07 The Unthanks - Nobody Knew She Was There
08 The Kills - Damned If She Do
09 The National - Think You Can Wait
10 Low - Nothing But Heart
11 The Concretes - Good Evening

Sebastião Alba
um anjo erra (o amor confuso)


Um anjo erra

nos teus olhos diurnos



humedecido do véu

(ao fundo, a íris entardece)

seguiu de cor a revoada das pombas



místico

um arroubo ascende a prumo

do plano em que me fitas



cisnes desaguam

do teu olhar em fio

e vogam ao redor, pelo estuário da sala



ao sol-poente

os vitrais das janelas

ardem na catedral assim erguida



colocamos um sonho

em cada nicho



e no círculo formado pelas nossas bocas

subentende-se com verve

a língua.




ninguém meu amor

Ninguém meu amor

ninguém como nós conhece o sol

Podem utilizá-lo nos espelhos

apagar com ele

os barcos de papel dos nossos lagos

podem obrigá-lo a parar

à entrada das casas mais baixas

podem ainda fazer

com que a noite gravite

hoje do mesmo lado

Mas ninguém meu amor

ninguém como nós conhece o sol

Até que o sol degole

o horizonte em que um a um

nos deitam

vendando-nos os olhos

4 comentários:

Vanessa disse...

unthanks, low, national e richard hawley. por mim está tudo dito. :)

beijo*

Nuno disse...

thanks, pela escuta e pelo tudo dito :)

beijo*

Vanessa disse...

foi só para não falar do poema! ;)

Nuno disse...

:D