28 fevereiro 2012

leve

o sol afastou-se mais hoje e os meus passos adquiriram maior ruído por não serem consumidos pelos teus, quando ontem deslizavam. Os olhos conquistaram um movimento de embalo que os vestiram de cores que caminham ao lado do espaço que o brilho arou e cedeu para as realçar. Conquisto e avanço sobre o dia como se palmilhasse montanhas para que me lembre de todas essas sementes de tempo ausente que florescerão quando os nossos braços receberem rostos da migração de olhares que soaram até à exaustão, o caótico cântico em chamas do reencontro onde nos desejamos. Toco agora o aroma que em crescendo prevaleceu na tua voz que regulava a nitidez da aproximação dos lábios que guardaram o vento para atirar ao sol fragmentos de estações reinventadas.

Sem comentários: