13 janeiro 2013

a um mês do ano IV ( o último )

















(c) www.magnumphotos.com


Estátuas irrompendo da terra, que tumulto absorvem?
Os cabelos resplandecem.
Os símbolos que celebram dão à pedra uma tensão,
um
desenvolvimento, uma aura.
Em cada uma delas eu abraço uma estrela.
Abraço-a ponta a ponta das mãos
numa só massa transpirada.
Arrebata-me, calcina-me.
O chão é a potência astronómica.
No escuro do ar rebentam floras.
A carne única vibra como uma vara de baixo para cima. 

Herberto Helder






Sem comentários: